segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Tulipa

A tulipa é uma flor
Uma flor que aflora
Que aflora aos poucos
Aos poucos se mostra
Se mostra na primavera
Na primavera a vez é dela
É dela tudo cujo desejo quer
Desejo quer a tulipa

Hailton Andrade

Erro poético

Passo os dias pensando
Ando as ruas sem compasso
Sinto saudade do abraço

Penso os dias cansado
Bocejo sem ter pensado
Viajo em cada canto

Canso no ritmo acalmado
Vejo a paz no futuro
Chego lá logo

Acalmo meu coração
Sigo mais acalmado
Espero você ao lado

Coração não é verbo
Erro poético
Findo sem ânimo

Hailton Andrade

Partes de um

Parte de mim é alegria
A outra é tristeza
Eu sou só duas partes

A junção imperfeita
Não tem bem ou mal
É sorriso ou choro

Dor some só com prazer
O amor segue sua luta
Fica neutro onde só há dicotomia

Hailton Andrade

terça-feira, 13 de setembro de 2016

Contagem triste

Um dia a gente saiu
Hoje somos só nós dois
Terça estarei sozinho

Às quatro da tarde comerei
Pois será a quinta vez na semana
Que estarei às seis sem você

Sete notas hão de ser
Com pausa na oitava
Sem nove ou zero a dizer

Hailton Andrade

Al final

El viaje se acabó
Una nueva ruta empezó
Salí de donde nascí
Mi continente és justo allí
Donde hay todo lo que necesito

Mi hogar sin en esto pensar
Siento ser más latino ahora
Era como si yo fuera de afuera
Pues no habia alcanzado
Llegar tan lejos y quedarme

Mi vida sigue
El camino vive
Lo que he dejado me acompaña
He vivido sin apagar la llama
Del fuego de mi corazón

La familia ha crecido
Mis ojos no tienen foco
Miro todo lo que puedo solo
Para aprender y crescer
Vivir intensamente és todo

Al final de este viaje empezo otra busquéda
Sin rumbo, sigo por lo que quiero
Aunque no sepa
Lo que me espera
Caminar siempre és todo que me importa

Hailton Andrade